terça-feira, abril 25, 2017

25 de Abril Sempre!

Com o "avanço" dos populismos e das "mentiras" que agora querem chamar "pós verdade", não sei até quando é que iremos poder dizer e gritar, «25 de Abril sempre!», sem qualquer tipo de condicionalismo.

Era bom que isso ainda fosse possível em 2074.

(Fotografia de Luís Eme)

sábado, abril 22, 2017

"Olha a Liberdade!" (o folheto e o poema...)


Com a minha "estupidez natural" lá fiz mais um folheto, que será entregue hoje à tarde aos participantes na exposição, "Olha a Liberdade!", com a sua arte e as suas palavras.

Quando organizo estas coisas tento sempre escrever algo inédito, mesmo que nem sempre tenha a qualidade desejável. Desta vez fiquei a ver a Liberdade a passar...

Olha a Liberdade a Passar…

Ela sabia que
a liberdade passava por ali
mas vinha sempre a correr sem parar
era como se fosse um carro veloz
que só deixa fumo e barulho no ar

Já não conseguia chorar
aceitava aquele seu destino
como se estivesse dentro
de um fado triste e desgraçado
cheio de mágoas e desatino

Nada que a impedisse de sonhar
ou de se esgueirar até à janela
para ver se ainda existiam milagres
e se a Liberdade lhe dava a mão
como se Ela fosse a Cinderela…

Luís [Alves] Milheiro

terça-feira, abril 18, 2017

"Olha a Liberdade!"

Esta é a fotografia ("Liberdade F. C.") com que participo na exposição colectiva de pintura e fotografia, "Olha a Liberdade!", organizada pela SCALA, que foi inaugurada a 15 de Abril e patente na sua sede social até ao dia 28 de Abril. Exposição que procura festejar Abril com 25 olhares diferentes sobre a Liberdade.

(Fotografia de Luís Eme)

segunda-feira, abril 17, 2017

A Esperteza Versus a Inteligência

Não penso, sei,  que a esperteza faz mais "estragos" nas pessoas inteligentes, que a inteligência nos "chico-espertos".

E isso acontece porque a esperteza surge quase sempre embrulhada em qualquer coisa, e está sempre decidida a tomar os inteligentes por parvos...

Já a inteligência costuma subestimar os "chico-espertos", esquece-se de que eles são capazes de ir até ao fim do mundo...

Isto não é "chinês", é apenas uma contratação de quem cai vezes demais nas esparrelas dos "chico-espertos"...

(Fotografia de Luís Eme)

terça-feira, abril 04, 2017

"O Cais da Companhia..."


Este é o Cais da Companhia Portuguesa de Pesca, no Olho de Boi, e faz parte da exposição, "Passeio dos Tristes", que será inaugurada hoje às 17 horas, na Galeria-Sede da SCALA, em Almada.

(Fotografia de Luís Eme)

domingo, abril 02, 2017

O Meu "Passeio dos Tristes"


À terceira foi de vez, acertei no título da exposição.

Depois de tentar encontrar pontos de encontro entre as minhas fotografias, achei que "Passeio dos Tristes", era o melhor título para uma exposição com Cacilhas, Ginjal e Arealva, que fazem parte de um dos meus passeios preferidos, muito graças ao Tejo.

quinta-feira, março 30, 2017

À Procura de Título...

Pensava que este ano ia ser um ano mais calmo, com algum distanciamento em relação à fotografia artística.

Talvez no final do ano fizesse uma exposição individual. Talvez...

Até que uma desistência (três dias antes da inauguração...) fez com que passasse a noite de ontem a ver imagens de Almada e Cacilhas (em condições de expor... mesmo que uma boa parte delas já fossem expostas noutras exposições). Hoje completei o serviço e escolhi 24 fotografias (há uma ou outra que ainda não estão certas). Um terço nunca foram expostas mas não sei se é possível "harmonizar a coisa"...

Claro que a exposição não será inaugurada no sábado, mas sim na terça, às 17 horas (em princípio).

Já pensei em vários títulos, mas também aqui ainda não há uma decisão final.

E posso informar que muitas das fotografias a expor já passaram pelos meus blogues...

(Fotografia Luís Eme)

quarta-feira, março 29, 2017

Os 90 anos do Mestre Manuel Cargaleiro

Não escrevi nada na altura, mas sei que estou sempre a tempo de falar sobre o Mestre Manuel Cargaleiro, que fez 90 anos há alguns dias e foi agraciado pelo Estado Português e também pelo Município de Castelo Branco.

Almada, a terra onde cresceu e se fez homem e artista, não deu qualquer sinal de gratidão por este artista plástico de renome mundial, que até fez parte do executivo do Município de Almada nos anos 1950, antes de se radicar em Paris...

Felizmente o seu mural junto à fonte de um dos jardins da cidade, continua a resistir ao vandalismo (este tem ficado apenas nas margens).

(Fotografia de Luís Eme)

segunda-feira, março 27, 2017

O Melhor do Teatro...


Enquanto escritor, o melhor que o Teatro me oferece é a possibilidade de escrever sobre a vida, de uma forma bem mais simples e directa, que qualquer outro estilo ou técnica literária.

Quando escrevo não penso numa, mas sim em várias pessoas. São elas que acabam por dar vida às personagens e que um dia poderão ser gente nos palcos...

E isso é o melhor que pode acontecer a quem escreve teatro, ver os "bonecos" que desenhámos com palavras ganharem um rosto, um corpo, serem gente e transformarem o palco numa festa.

sábado, março 25, 2017

A Vitória dos Chupistas e dos Oportunistas...


Continuo convencido que uma sociedade como esta em que vivemos, que se alimenta preferencialmente do compadrio, da mediocridade, da esperteza, e até da injustiça, acabará, mais tarde ou mais cedo, por ficar atolhada na porcaria que vai deixando atrás de si. 

Só que até isso acontecer, muita gente será prejudicada, ferida na sua dignidade, confundida pelos valores que acha certos, e pelos outros, que vigoram...

Tenho conversas intermináveis com alguns amigos sobre este "mundo", cada vez mais de pernas para o ar. É por isso que acrescento que só fiquei indignado com o político holandês que diz que gastamos o nosso dinheiro em vinho e mulheres, por não apontar o dedo aos seus colegas políticos do sul, porque são eles que ganham dinheiro suficiente para beber vinhos caros e seduzir mulheres com preço, e nunca o seu povo.

Apesar de ter sido infeliz e injusto, compreendo-o perfeitamente. Não podemos andar a viver eternamente acima das nossas possibilidades, a gastar o que não temos. E para ser rigoroso, também sei que é quase impossível os países com mais dificuldades conseguirem estabilizar ou crescerem com dívidas tão elevadas.  A renegociação das dívidas é fundamental.

As conversas são mesmo como as cerejas, onde eu já vou... e o que queria era falar da realidade associativa almadense, que acaba por ir um pouco ao encontro das palavras do "holandês"...

Eu por exemplo, tenho muito orgulho de pertencer a duas colectividades almadenses que continuam a sua caminhada, com grande dignidade, sem nunca terem estado reféns de qualquer poder, político ou económico, ao longo das suas histórias - uma longa de 168 anos outra mais curta de apenas 23 anos.

E ao contrário do Carlos, nem fico demasiado  incomodado por serem muitas vezes penalizadas por fazerem uma gestão cuidadosa, por conseguirem promover a cultura sem grandes custos, ao mesmo tempo que apresentam as suas contas aos seus associados, sem dívidas.

Digo isto porque normalmente quem gasta mais do que tem, acaba por sair beneficiado em relação a quem cumpre, com os apoios dados pelas autarquias, com a velha desculpa de que é preciso evitar a todo o custo a possível "falência"... E o mais grave, é que não se vê ninguém ser chamado à responsabilidade, mesmo pelos associados, como responsável por gestões danosas.

É por isso que por muito que se fale em justiça, igualdade de oportunidades e etcétra, na sociedade actual os "chupistas" e os oportunistas acabam sempre a ganhar...

terça-feira, março 21, 2017